21 February 2018

Life is sweet


Não há como vestir algo divertido e colorido que nos sentimos logo super animados. Eu sou assim, pelo menos. Sinto que consigo conquistar o mundo com as cores certas no meu corpo. Sinto que emano uma vibe descontraída mas poderosa por andar pelas ruas de Lisboa sem medo de me destacar.

Chega de preto e castanho nas malas, nos sapatos e nos casacos! Que venham cores mais garridas para aumentarem a nossa auto-confiança e tornarem o dia mais alegre.

Este look? É todo Zara. Sou uma addicted por esta loja espanhola. Realmente, quem melhor para se vestir desta maneira do que as espanholas. Aliás, quem me inspirou neste look foi a Mónica da conta de Instagram Be Parisien. Ela faz com que eu queira ter roupa nova e divertida todos os dias!

E vocês, quais são as contas de Instagram que mais vos inspiram no vosso guarda roupa do dia a dia?

[EN]: There is nothing quite like wearing something fun and bright to lift up your mood. I am like that, at least. I feel like conquering the world with the right colours put on my body. I feel like I got this chill vibe, but at the same time a powerful one that makes me fearless of differentiating myself in the streets of Lisbon.

Enough of black and brown in our bags, shoes or coats! Bring the fierce colours on which boost our confidence and make our day instantly more joyous.

This look? It's a total Zara one. I'm addicted to this Spanish brand. And honestly, who is better at styling than the Spanish ladies? In fact, I was inspired by Mónica from the IG account Be Parisien. She makes me want to have new and fun clothes every single day!

What about your Instagram Inso style accounts? I want to know.



08 February 2018

Aquele Modo de Vida Hygge


Não é segredo nenhum que o ano passado estive a viver em Copenhaga durante 3 meses.

Nesses 3 meses a viver num país nórdico, aprendi uma maneira nova de viver. 

De parar um pouco, por vezes, e observar tudo à minha volta que existia nesse momento, de respirar fundo e relaxar, de ficar agradecida por ter pessoas boas à minha volta e, sobretudo, de olhar para dentro de mim e reencontrar-me.

A esta nova maneira de ser aliada ao conforto de uma casa com mantas de lã, velas acesas e bebidas quentes nas mãos chamam-lhe de hygge (lê-se hu-gah). Mas esse termo vocês já estão familiarizados, pelos menos pela quantidade de livros que andam à venda e que ensinam esta maneira centenária de ser e estar comum dos países nórdicos.


Quando voltei a Portugal, tentei implementar esse modo de vida. No entanto, passou um ano, e muita coisa se esquece e voltamos a integrar o modo de vida português. 

No meu caso traduz-se em muito stress, muita azáfama, mas por vezes preguiça e procrastinação. É toda uma montanha-russa sem equilíbrio interior, sem disciplina.

Claro que em breves momentos eu consigo voltar ao meu ponto de início, ao ponto 0, e fazer um restart na minha rotina. Vou tomar café com as minhas amigas a um sítio de inspiração nórdica, com linhas simples e vibes minimalistas e consigo voltar a observar tudo o que vida tem de bom e absorver a boa energia que me permite organizar a minha vida com uma uma motivação mais ordeira e natural.

Fazer listas para não me perder com todas as tarefas que tenho, comer produtos mais naturais e viver a vida mais organicamente. Mas offline, mais no momento.

E foi isso que, para me lembrar todos os dias de incorporar este hygge na minha vida, encomendei um poster com a sua definição. Só assim é que poderei interiorizar até esta ficar cimentado em mim.


E o que complementa tão bem este conforto de vida? Para mim, uma chávena de café bem quente. Seja cappuccino, latte, espresso, macchiato ou um noir. Qualquer um da coffee chart aconchega-me por dentro.

Queres decorar a tua casa ou quarto e enchê-la de inspiração?

Aproveita o meu desconto de 25% na Desenio com o código 'moibyines', válido entre 6 e 8 de Fevereiro. O desconto é aplicável apenas em posters (exclui posters handpicked ou collaborations e molduras).

31 January 2018

military green


É verdade. Tenho andado desaparecida por aqui. Estou a tentar dar mais foco ao Instagram e ao Youtube, e como é de esperar, há sempre alguma coisa que fica mais para trás. No entanto, não quero deixar de todo o blog. Foi por aqui que comecei, e por aqui que partilho fotografias de mais detalhes, textos mais bem pensados e pensamentos sobre a vida em geral. Não vou deixar o meu primeiro bebé.

Isto posto, não vos queria deixar de falar sobre uma peça de vestuário que usei e vos mostrei nos últimos posts do Instagram.

Foi uma menina chamada Benedita Formosinho que criou este blusão verde seco que podem ver em cima (e em baixo). É um casaco estruturado, over-sized e feito em tecido de bombazine que joga tão bem com os meus gostos por peças vintage. É um modelo que me lembra bem os casacos da minha mãe que eu tanto gosto de usar, e que, a meu ver, ficou perfeitamente conjugado com a minha saia metálica dourada da Zara, uma t-shirt branca e os meus novos ténis Stan Smith da Adidas.

É aquele look effortlessly cool com o qual me sinto mais à-vontade para o usar e arrasar nas ruas lisboetas.

O que acham do look?

10 January 2018

New Year, Better Me


I know. It's the 10th of January and I'm now writing a New Year's post. Bad blogger.

Nonetheless, I felt obliged to write you something. It's a new year, let's kick it off with some thoughts.

In between, you can check this photo shoot Mariana and I did with Enzo. The location was pretty on point, industrial looking with a touch of vintage luxury. It's located in Cais do Sodré, in Lisbon, and it's called Vestigius.


Secretly, I've been waiting for 2018 for quite a few months. Although, last year I did a lot of things — lived in Denmark for three months with my Danish family, traveled to London on my birthday, traveled to Amsterdam with my sister, went to many blogger events where I met pretty much everyone I follow on Instagram, at least the ones in Portugal, did some crazy photoshoots, went to Paris with my Polish friend and spent the New Year's Eve in Oporto with my boyfriend — it wasn't all the time a great time.

2017 was a rollercoaster for me. Emotional rollercoaster. A lot happened in my personal life which I don't wish to dwell on it, and for that I needed a reason to start fresh, a new year, a new chance at being truly happy.


But this idea that a new year will change us is quite ridiculous. It's like saying 'oh I'll start dieting on next Monday, because it's a new week and it's the right time to do it'. And then, you just keep postponing your diet from one Monday to another. 

What I believe the New Year can bring is gradual change. It's not becoming a totally different person than you were a few days ago, but improving yourself. Improving your way to see the world, to see yourself and to see others.

I like to make a little list of promises each year. Mostly are concerning travel and places I want to visit. Besides the shallow promises, I like to set my mind into a clear state and find what I truly need to become a better me.

Not a new me, a better me.


5, 4, 3, 2, 1. Happy New Year!

Cheers!

Here's to letting go of people who hurt me, letting go of thoughts that stress me out,  breathing in and breathe out and stop overthinking about meaningless things.

To saying yes regularly to things that can lead to opportunities, all kind of them. Being a quick coffee with an old friend or a 'stranger' with big ideas.

Here's to starting to work on myself. And taking better care of my health.
To working on a project which will truly fulfil me, both personally and professionally.

Here's to 2018 being the best year yet.