17 February 2017

The best free views of London and the finest food market


Olá a todos! Como sabem, fui passar o meu 22.º aniversário a Londres. Já era um sonho meu ir lá e esta viagem ultrapassou todas as minhas expectativas. A primeira vez que fui a Londres, tinha cinco anos – e a única coisa de que me lembro foi de me assustar com a estátua de cera de uma princesa no Madame Tussauds – e há dois anos – o dia e meio em que lá estivemos não foi definitivamente, suficiente para explorar esta metrópole gigante e sempre em movimento.

Desta vez, ficámos uns bons três dias, andámos 17 quilómetros por dia a pé, de autocarro e metro, vimos as atrações principais, comemos em mercados incríveis e ainda estivemos debaixo de chuva.

Da mesma maneira como editei os meus vídeos (podes ver a primeira parte AQUI), dividirei as minhas publicações em três partes. Como tirei tantas fotografias e até tenho algumas coisas a dizer sobre cada sítio em que parámos, achei melhor publicar posts mais pequenos em vez de um gigante com imensas letras que sei que vocês iriam saltar...

Por isso, aqui vai a parte 1:

Depois do trabalho na quinta-feira, apanhei o voo da noite de Copenhaga para Gatwick (sim, estou a viver em Copenhaga! Não sabias? Carrega AQUI para saberes o que cá estou a fazer, mas não te esqueças de voltar a esta página). O comboio express do aeroporto para o centro é fantástico. Trinta minutos e 22£ mais tarde, estava em Victoria Station. Aí comprei logo uma sandes e cubos de fruta na M&S – já que a Norwegian cobra por comida e eu sou super forreta (okay, não com os meus cafés – esses são o meu ponto fraco).

[EN]: Hey, everyone! As you may know, I went to London to spend my 22nd birthday (oh my goodness, I’m getting old…). It has been a dream of mine going there and this trip surpassed every expectation. I had been in London when I was five – and the only thing I remember is being afraid of some princess at Madam Tussaud’s – and two years ago – and one day and a half weren't clearly enough to get a true feel of this huge and beautiful and always-moving metropolis.

This time, we spent a proper three days here, walked 17 km per day, rode a lot of buses and tubes, saw the main attractions, ate at amazing markets and walked under pouring rain.

Like my videos (you can see part 1 HERE), I’ll divide my posts into three parts. As I took so many photos and have quite a bit to say about each place, I think it’s best for you to get smaller posts than a foot long page with pictures and a whole bunch of letters I know you’ll skip…

So here’s part 1:

After work on Thursday, I got the late flight from CPH to Gatwick (yes, I'm living in Copenhagen. Didn't you know? Click HERE to read more about it, but come back afterwards). The express train from the airport to the city centre is fantastic. 30 minutes and 22£ later, there I was in the middle of Victoria Station. There I bought a sandwich and a package of fruit cubes at M&S – since Norwegian charges for food and I’m cheap as hell (okay, not when it comes to cute coffee shops – that’s my weak spot).




Na manhã seguinte, tínhamos agendado uma visita ao Sky Garden (é um dos terraços em Londres com a melhor vista para a cidade e é GRÁTIS! Só se tem de agendar a visita pela net com alguma antecedência). De lá de cima pode-se ver toda a cidade, incluindo a Tower Bridge, o Shard e o Gherkin. Tem também alguns cafés, bares e restaurantes onde se se pode deliciar com um drink ou uma refeição no topo de Londres.

Next morning, I had scheduled a visit to Sky Garden (it’s one of London’s rooftop with the most beautiful scenery from up there and it’s FREE! You just have to schedule it on their website in advance). From there you can see the whole city, including the Tower Bridge, the Shard and the Gherkin. It also has cafés, bars and restaurants so you can enjoy a drink on top of London.



Achei que a Cidade de Londres, o distrito financeiro, era muito parecido com a cidade de Nova Iorque. Cada vez que olhava para cima, os arranha-céus tornavam-se gigantes. E era bastante notória a existência de estruturas modernas – quase que futurísticas – em simultâneo com algumas da 'antiguidade', o que torna esta parte da cidade única.

Um facto engraçado: 'Gherkin' quer mesmo dizer, em inglês, pepino. Por isso, se reparaste na forma do vegetal neste edifício, sabes que foi com essa mesma intenção.



I found the City of London, the financial district, to be very similar to New York City. Every time you would look up, the bigger the building would get. And it was notorious the existence of both modern and 'ancient' structures, making this area unique.



Funny fact: 'Gherkin' actual means cucumber in English. So if it reminded you of the vegetable, don't worry, it was constructed on purpose. 


left: Sky Garden looking up, right: the Gherkin

De seguida, estava a Tower Bridge no nosso horário – sim, nós decidimos cada passo que íamos dar num excel na Drive do Google. Eu sou assim, organizada.

É magnífica. E o toque daquele azul do céu na ponto fá-la ganhar vida!

Apesar de ser muito mais encantadora de fora. Pusémo-nos do lado contrário à Tower of London, no Queen's Way perto do City Hall, e pudemos ver os vários edifícios a formarem-se no horizonte da cidade.


Next on our schedule, was the Tower Bridge – yup, we decided every step we were going to take on a Google Drive spreadsheet. I’m that organised.

It’s quite magnificent. And that touch of sky blue on the bridge makes it come alive! 

Though it’s the most beautiful looking from the outside. Here we were standing in the City Hall in Queen’s way. From there you get a view of the Tower Bridge, the Tower of London and so many huge buildings forming in the city’s skyline. 



A caminho do almoço, fizemos um pequeno detour para mirar o Shard. Este foi considerado, em 2011, o edifício mais alto da Europa e da União Europeia com mais de 310 metros de altura! A melhor maneira de tirar uma fotografia a este monumento é deitar-se no chão ou ter uma wide lense.


On our way to lunch, we took a little detour to check the Shard out. In 2011, it was considered the tallest building in Europe and inside the EU, with over 310 meters of height. The best way to take a picture of this monument is to either lay on the floor on your back or have a wide lens.




Se gostas de street food, então não podes deixar passar o Borough Market. É o mercado de comida mais antigo de Londres (tem servido comida desde há 1000 anos). Aqui, podes comprar produtos frescos directamente dos agricultores e pastores, e ainda comer uma bela sandes de vaca e um macarron por um preço simpático. Há várias alternativas para todos os gostos, há várias bancadas de doces, cafés e bebidas. 

No geral, é um ambiente jovem e divertido que te garante uma ótima refeição.


If you're into street food and fine delicacies, then you must go to Borough Market. It's the oldest food market in London (has been serving food for over 1000 years!). There you can shop for fresh produce directly from the farmers, and also get a fine pork sandwich and macaroon for a decent price. There are a lot of options for all tastes, a lot of sweets and pastry stands, coffee and other drinks bars. 

Overall, it's a fun and young vibe and guarantees you a great meal.




Foi uma pena não termos visitado as exposições *grátis* de arte moderna no Tate, mas quando se está sempre a andar e tirar fotografias e a filmar – sim, tudo ao mesmo tempo! –, precisa-se de um tempo sentado a recarregar baterias (dos vários aparelhos eletrónicos e das nossas próprias).

Subimos até ao café deste museu e deparámo-nos com uma outra vista arrebatadora de Londres. Desta vez, do lado contrário do Sky Garden. Bebemos o nosso cappucino e mini-pint debruçados sobre o rio Tâmisa e recuperámos as energias para, de seguida, atravessar a incrivelmente moderna Millennium Bridge e chegarmos à antiga Catedral de St. Paul.


It was a pity that we missed the *free* modern art expositions at Tate Modern, but when you're walking and taking pictures and filming – yes, all at the same time! –, you need some time to recharge batteries (and I mean the electronic devices' and our own).



We went up to the coffee shop of this museum and encountered a sweeping view of London. This time, from the opposite side of Sky Garden. We drank our cappuccino and mini-pint leaning over the river Thames and got our strengths back to cross the amazingly modern Millennium Bridge and reach the old St. Paul's Cathedral.




Como ainda era inverno, o sol pôs-se às quatro e meia da tarde, e quando chegámos ao Big Ben já estava escuro. Na vida real, a paisagem era linda, com o seu reflexo no rio e as luzinhas de cada casa de um milhão de pounds acesas. Na imagem, parece uma porcaria…


As it was winter, the sun set at 4.30pm and, by the time we got to Big Ben, it was already dark. In real life, it was beautiful watching its reflection on the river and the little lights of each million dollar apartment on the bay side. On the picture, it just looks crappy...



Fica atento à segunda parte, brevemente, aqui!

Stay tuned for part two, soon, in here!

No comments:

Post a Comment

NEWBURY © 2016 | Template by Blogs & Lattes