22 February 2017

A birthday spent in Notting Hill (& other parts of London)


O nosso segundo dia em Londres foi o 4 de Fevereiro – os MEUS ANOS! A única coisa (ou três, vá) que estava mesmo entusiasmada para fazer era ir tomar brunch a este café super instagrammable – Farm Girl –, andar pela encantadora Notting Hill e passear pelos parques lindos de Londres.

Este foi o dia em que me apaixonei por Londres.

E agora tenho um grande dilema: não sei qual a cidade que gosto mais, se Paris ou Londres. Têm as duas vibes tã diferentes e, honestamente, sinto-me atraída pelas duas – talvez por ser uma pessoa romântica por vezes e agitada noutras, mas sempre amante de cafés bonitos.


[EN]: Our second day in London was on the 4th of February – my BIRTHDAY! The one (or three) thing(s) I was really excited to do was to go to this super instagrammable coffee shop – Farm Girl –, walk around pretty Notting Hill and stroll through London's beautiful parks. 

This was the day I fell in love with London. 

Now I have this huge dilemma: I don't know which city I like the most if Paris or London. They have such different vibes to them and, honestly, I'm drawn to both – as I can be romantic at times, and hustling in other, but always a pretty coffee lover.





É no Instagram que encontro os cafés mais originais. Não interesse se se localizam em Paris, Nova Iorque ou Taiwan. Eu faço screenshot de cada café apelativo e espero um dia ter a sorte de poder viajar para esse país só para experimentar o meu tão cobiçado café (ou loja de donuts, ou de matcha waffles ou de gelados de algodão doce, não importa).

O Farm Girl tem estado no meu rolo da câmara e no disco rígido há meses – literalmente! É impossível carregar duas vezes e fazer scroll para baixo sem antes carregar na localização e deslumbrar-me com as inúmeras fotografias que promovem o menu deste espaço. O seu café de assinatura é o rose latte – um 'shot duplo com uma infusão de água de rosa e leite e pétalas'. Sim, soa mesmo a algo extravagante e sabe a algo interessante. De qualquer maneira, eu tinha de o provr e fotografar. A minha vida ficou completa! Okay, vida não, dia. O meu dia ficou completo!

It's on Instagram that I find the cutest coffee shops. It doesn't matter if it's in Paris, New York or Taiwan. I screenshot each and every one that appeals to me and hope that someday I have the chance to travel to one of those places just to go to that one coffee shop (or a doughnut shop, or matcha waffles, even cotton candy ice creams, it doesn't matter).



Farm Girl has been on my phone and hard drive for months – literally! It's impossible to double-tap and scroll down without clicking on the location and be mesmerised by this place's food promoting pictures. Their signature coffee is the rose latte – a 'double shot with rose water infused milk & petals'. Yes, it sounds fancy and tastes interesting. Nonetheless, I got to try it and photograph it. My life was complete! Okay, not life, my day. My day was complete!


E como era o meu aniversário, eu pedi tudo a que tinha direito! Compusémos um brunch com uma tosta de abacate com sumo de limão, coentros frescos e uma pitada de romã (e paguei mais 2£ por um ovo escalfado!) e panquecas de frutos vermelhos feitas com uma 'mistura de trigo sarraceno, maple syrup, arandos e hibisco, polvilhado com pistáchios e avelãs tostadas'. No final estava tão cheia (que nem uma baleia), mas tão feliz! Era a minha refeição de aniversário, que se lixe a dieta! 


And as it was my birthday, we went all out and ordered my favourite: brunch! We got the avocado toast with lemon juice, fresh coriander & a sprinkle of pomegranate (I added a poached egg for 2£!) and berry pancakes made with Benoit’s buckwheat mix with amber maple syrup, cranberries and hibiscus, sprinkled with toasted pistachio & hazelnut. By the end, I was so full but so happy! It was my birthday meal, the hell with the diet!


De seguida, no nosso horário estava a visita ao mercado de Portobello. Infelizmente, tinha começado a chover, por isso andámos apenas uns metros pela Portobello Road, comprámos um 'Notting Hill shopping bag', tirámos umas insta pics, demos meia volta e fomos para Hyde Park.

Next on our schedule was a visit Portobello Market. Unfortunately, it started raining. So we went a couple of meters down Portobello Road, got me a 'Notting Hill shopping bag', took some pictures of the coloured houses and headed back to Hyde Park.


Notting Hill e Chelsea são conhecidos pelas suas casinhas coloridas. Se não sabes do que estou a falar, então entretém-te nestas duas contas –  Pretty Little London ou Georgina T Wong – para estarmos na mesma página.

Notting Hill and Chelsea are known for their cute perfect little-colored houses. If you don't know what I'm talking about, just browse through Pretty Little London or Georgina T Wong feeds and we'll be on the same page.


No meio dessas casas, fica o The Royal Borough of Kensington and Chelsea. Um bairro super chique repleto de pequenas mansões pintadas de branco. Todas perfeitamente construídas, uma a seguir à outra, criando um conjunto harmonioso. Adequadíssimo para pessoas finas.

Among those houses, lays The Royal Borough of Kensington and Chelsea. A fine neighbourhood assembled with all-white little mansions. All so perfectly constructed one after the other creating a harmonious set. The perfect fit for posh people.


A caminho de Hyde Park, passámos por Kensington Palace Gardens – uma estrada enorme e privada onde as várias embaixadas de países se encontram. Mansões monumentais umas atrás das outras, regras de fotografia restritas e algumas pessoas a correr. 
Percorrendo esta estrada, chegamos aos jardins e Palácio de Kensington.

On our way to Hyde Park, we went through Kensington Palace Gardens – a huge private road where all the countries' embassies are placed. Monumental mansions one after the other, strict photograph rules and few people jogging. 
Wandering along this road, it led us to the actual Kensington Gardens and Palace.


Como não tínhamos muito tempo para continuar por Hyde Park, decidimos cortar caminho e deixar este parque enorme e amigo de cães pela saída do  Royal Albert Hall.

As we didn't have time to continue to Hyde Park, we decided to cut our way short and leave the huge dog-friendly park by the Royal Albert Hall exit.


Na verdade, apesar do metro, ou o 'tube', ser o transporte mais famoso da cidade – há 16 linhas que chegam a todo o lado – eu gostei muito mais de andar de autocarro. Além de serem super icónicos, quando se arranja lugar no segundo andar e logo à frente, sente-se realmente no topo da estrada e pode-se ver tudo como se estivéssemos a andar em bus tours (só que a pagar 1/10 do preço). E para não falar da confusão que é na hora de ponta em estações como Westminster: centenas de pessoas a cruzarem para trocar de linha ou para subir os três andares de escadas rolantes.

In fact, though the metro, or the 'tube', is the most famous transportation in the city – it has 16 different lines that take you literally everywhere – I liked riding the bus the most. Not only they're such an icon to the city, but when you get that front seat on the top tier, it's like you're on top of the road and riding those bus tours (but only paying 1/10 of the price). Not to mention the turmoil it is when rush hour hits: hundreds of people crossing your way to change lines or to go up the three flights of the escalator.


Foi na Sloane Square que encontrei um restaurante vegetariano super clean (em termos de design/decoração e comida, claro). Chama-se Raw Press e, na verdade, cobrou-me mais do que pensava – 16£ por um pratinho e um sumo verde?

It was on Sloane Square that I found a super clean vegetarian restaurant (clean in the design and on their food, of course). It's called Raw Press and, in fact, it charged me more than I thought it would – 16£ for a little plate and a green juice?



Neste segundo dia, pudemos ver o Big Ben de dia! Ao olhar para este majestoso monumento na capital britância, relembrou-me daquela sensação de quando vejo a Torre Eiffel e sinto que estou realmente em Paris. É aquela sensação que nos faz sentir vivos, que nos diz como vale a pena sair da nossa zona de conforto e explorar o que antes só víamos por um ecrã.

On this second day, we got to see the Big Ben in daylight! By looking at the British capital's majestic monument, it reminded me of that feeling I get when I see the Eiffel Tower and truly believe that I'm in Paris. It's that feeling of being alive, that tell us how worth it is to get out of our comfort zone and explore what we're so used to watching on screens.


A Trafalgar Square é outro must. Aqui há sempre imensos artistas de rua a fazer espectáculos de música ou a vender as suas bijuterias artesanais.

Trafalgar Square is another must. There are always tonnes of street artist performing or selling artisanal jewellery. 


Depois de uma longa caminhada pelo Big Ben, Parliament Street e Trafalgar Square, subimos um pouco mais e fomos dar a Leicester Street – uma rua muito agitada. É aqui onde se reúnem todos os teatros e musicais. Acompanhados pelas lojas gigantes da M&Ms e da LEGO.

Por esta altura, já estavamos famintos, e decidimos, então, provar o prato típico inglês: Fish&Chips. O peixe é bacalhau fresco frito – que estava bom com a maionese (já que eles nunca temperam nada) –, mas as batatas estavam pouco fritas.

Logo a seguir ao nosso jantar das seis da tarde/noite, passámos pela vivaça Chinatown a caminho da praça principal: Piccadilly Circus.

After our long walk through Big Ben, Parliament Street and Trafalgar Square, we went a bit further up and ended up at Leicester Street – a very busy street. Here's where all the theater and musicals gather together. Along with the M&Ms and LEGO massive store.

As we were so hungry by this time, we decided to try some overly priced Fish&Chips. The fish is fried fresh cod – which was okay with the mayo, since they never season anything –, though the fries were underdone...

After our early dinner, we passed by the lively Chinatown and got to the main square: Piccadilly Circus.



A nossa noite acabou numa das laterais de Regent Street: a Carnaby Street. É aqui que existe um food court incrível, uma bar/discoteca chamado 'Cahoots' que imita uma carruagem de metro antiga dos anos 40, e várias lojas (que não estavam abertas à hora a que lá chegámos).

Our night ended on the sides of Regent Street: Carnaby Street. Here is where they have an amazing food court, 'Cahoons' – a disco replicating a 1940's old tube – and various stores (that were closed by the time we got there).


Vê em baixo este dia em formato de vlog e não te esqueças de subscrever ao canal!

Watch below this day's vlog and don't forget to subscribe to my channel!

17 February 2017

The best free views of London and the finest food market


Olá a todos! Como sabem, fui passar o meu 22.º aniversário a Londres. Já era um sonho meu ir lá e esta viagem ultrapassou todas as minhas expectativas. A primeira vez que fui a Londres, tinha cinco anos – e a única coisa de que me lembro foi de me assustar com a estátua de cera de uma princesa no Madame Tussauds – e há dois anos – o dia e meio em que lá estivemos não foi definitivamente, suficiente para explorar esta metrópole gigante e sempre em movimento.

Desta vez, ficámos uns bons três dias, andámos 17 quilómetros por dia a pé, de autocarro e metro, vimos as atrações principais, comemos em mercados incríveis e ainda estivemos debaixo de chuva.

Da mesma maneira como editei os meus vídeos (podes ver a primeira parte AQUI), dividirei as minhas publicações em três partes. Como tirei tantas fotografias e até tenho algumas coisas a dizer sobre cada sítio em que parámos, achei melhor publicar posts mais pequenos em vez de um gigante com imensas letras que sei que vocês iriam saltar...

Por isso, aqui vai a parte 1:

Depois do trabalho na quinta-feira, apanhei o voo da noite de Copenhaga para Gatwick (sim, estou a viver em Copenhaga! Não sabias? Carrega AQUI para saberes o que cá estou a fazer, mas não te esqueças de voltar a esta página). O comboio express do aeroporto para o centro é fantástico. Trinta minutos e 22£ mais tarde, estava em Victoria Station. Aí comprei logo uma sandes e cubos de fruta na M&S – já que a Norwegian cobra por comida e eu sou super forreta (okay, não com os meus cafés – esses são o meu ponto fraco).

[EN]: Hey, everyone! As you may know, I went to London to spend my 22nd birthday (oh my goodness, I’m getting old…). It has been a dream of mine going there and this trip surpassed every expectation. I had been in London when I was five – and the only thing I remember is being afraid of some princess at Madam Tussaud’s – and two years ago – and one day and a half weren't clearly enough to get a true feel of this huge and beautiful and always-moving metropolis.

This time, we spent a proper three days here, walked 17 km per day, rode a lot of buses and tubes, saw the main attractions, ate at amazing markets and walked under pouring rain.

Like my videos (you can see part 1 HERE), I’ll divide my posts into three parts. As I took so many photos and have quite a bit to say about each place, I think it’s best for you to get smaller posts than a foot long page with pictures and a whole bunch of letters I know you’ll skip…

So here’s part 1:

After work on Thursday, I got the late flight from CPH to Gatwick (yes, I'm living in Copenhagen. Didn't you know? Click HERE to read more about it, but come back afterwards). The express train from the airport to the city centre is fantastic. 30 minutes and 22£ later, there I was in the middle of Victoria Station. There I bought a sandwich and a package of fruit cubes at M&S – since Norwegian charges for food and I’m cheap as hell (okay, not when it comes to cute coffee shops – that’s my weak spot).




Na manhã seguinte, tínhamos agendado uma visita ao Sky Garden (é um dos terraços em Londres com a melhor vista para a cidade e é GRÁTIS! Só se tem de agendar a visita pela net com alguma antecedência). De lá de cima pode-se ver toda a cidade, incluindo a Tower Bridge, o Shard e o Gherkin. Tem também alguns cafés, bares e restaurantes onde se se pode deliciar com um drink ou uma refeição no topo de Londres.

Next morning, I had scheduled a visit to Sky Garden (it’s one of London’s rooftop with the most beautiful scenery from up there and it’s FREE! You just have to schedule it on their website in advance). From there you can see the whole city, including the Tower Bridge, the Shard and the Gherkin. It also has cafés, bars and restaurants so you can enjoy a drink on top of London.



Achei que a Cidade de Londres, o distrito financeiro, era muito parecido com a cidade de Nova Iorque. Cada vez que olhava para cima, os arranha-céus tornavam-se gigantes. E era bastante notória a existência de estruturas modernas – quase que futurísticas – em simultâneo com algumas da 'antiguidade', o que torna esta parte da cidade única.

Um facto engraçado: 'Gherkin' quer mesmo dizer, em inglês, pepino. Por isso, se reparaste na forma do vegetal neste edifício, sabes que foi com essa mesma intenção.



I found the City of London, the financial district, to be very similar to New York City. Every time you would look up, the bigger the building would get. And it was notorious the existence of both modern and 'ancient' structures, making this area unique.



Funny fact: 'Gherkin' actual means cucumber in English. So if it reminded you of the vegetable, don't worry, it was constructed on purpose. 


left: Sky Garden looking up, right: the Gherkin

De seguida, estava a Tower Bridge no nosso horário – sim, nós decidimos cada passo que íamos dar num excel na Drive do Google. Eu sou assim, organizada.

É magnífica. E o toque daquele azul do céu na ponto fá-la ganhar vida!

Apesar de ser muito mais encantadora de fora. Pusémo-nos do lado contrário à Tower of London, no Queen's Way perto do City Hall, e pudemos ver os vários edifícios a formarem-se no horizonte da cidade.


Next on our schedule, was the Tower Bridge – yup, we decided every step we were going to take on a Google Drive spreadsheet. I’m that organised.

It’s quite magnificent. And that touch of sky blue on the bridge makes it come alive! 

Though it’s the most beautiful looking from the outside. Here we were standing in the City Hall in Queen’s way. From there you get a view of the Tower Bridge, the Tower of London and so many huge buildings forming in the city’s skyline. 



A caminho do almoço, fizemos um pequeno detour para mirar o Shard. Este foi considerado, em 2011, o edifício mais alto da Europa e da União Europeia com mais de 310 metros de altura! A melhor maneira de tirar uma fotografia a este monumento é deitar-se no chão ou ter uma wide lense.


On our way to lunch, we took a little detour to check the Shard out. In 2011, it was considered the tallest building in Europe and inside the EU, with over 310 meters of height. The best way to take a picture of this monument is to either lay on the floor on your back or have a wide lens.




Se gostas de street food, então não podes deixar passar o Borough Market. É o mercado de comida mais antigo de Londres (tem servido comida desde há 1000 anos). Aqui, podes comprar produtos frescos directamente dos agricultores e pastores, e ainda comer uma bela sandes de vaca e um macarron por um preço simpático. Há várias alternativas para todos os gostos, há várias bancadas de doces, cafés e bebidas. 

No geral, é um ambiente jovem e divertido que te garante uma ótima refeição.


If you're into street food and fine delicacies, then you must go to Borough Market. It's the oldest food market in London (has been serving food for over 1000 years!). There you can shop for fresh produce directly from the farmers, and also get a fine pork sandwich and macaroon for a decent price. There are a lot of options for all tastes, a lot of sweets and pastry stands, coffee and other drinks bars. 

Overall, it's a fun and young vibe and guarantees you a great meal.




Foi uma pena não termos visitado as exposições *grátis* de arte moderna no Tate, mas quando se está sempre a andar e tirar fotografias e a filmar – sim, tudo ao mesmo tempo! –, precisa-se de um tempo sentado a recarregar baterias (dos vários aparelhos eletrónicos e das nossas próprias).

Subimos até ao café deste museu e deparámo-nos com uma outra vista arrebatadora de Londres. Desta vez, do lado contrário do Sky Garden. Bebemos o nosso cappucino e mini-pint debruçados sobre o rio Tâmisa e recuperámos as energias para, de seguida, atravessar a incrivelmente moderna Millennium Bridge e chegarmos à antiga Catedral de St. Paul.


It was a pity that we missed the *free* modern art expositions at Tate Modern, but when you're walking and taking pictures and filming – yes, all at the same time! –, you need some time to recharge batteries (and I mean the electronic devices' and our own).



We went up to the coffee shop of this museum and encountered a sweeping view of London. This time, from the opposite side of Sky Garden. We drank our cappuccino and mini-pint leaning over the river Thames and got our strengths back to cross the amazingly modern Millennium Bridge and reach the old St. Paul's Cathedral.




Como ainda era inverno, o sol pôs-se às quatro e meia da tarde, e quando chegámos ao Big Ben já estava escuro. Na vida real, a paisagem era linda, com o seu reflexo no rio e as luzinhas de cada casa de um milhão de pounds acesas. Na imagem, parece uma porcaria…


As it was winter, the sun set at 4.30pm and, by the time we got to Big Ben, it was already dark. In real life, it was beautiful watching its reflection on the river and the little lights of each million dollar apartment on the bay side. On the picture, it just looks crappy...



Fica atento à segunda parte, brevemente, aqui!

Stay tuned for part two, soon, in here!
NEWBURY © 2016 | Template by Blogs & Lattes