26 June 2017

JNcQUOI x Ladurée


Há uns dias, eu e a Andreia não resistimos e fomos espreitar o novo bar chique na Avenida da Liberdade – o JNcQUOI (pronuncia-se 'je ne sais quoi', uma expressão francesa que tem como significado 'algo de agrado inexplicável').

Este espaço está dividido em 4 áreas distintas: a secção de homem da loja de luxo Fashion Clinic com expositores de vidros espelhados, um restaurante com um dinossauro velociraptor no meio da sala, um bar com uma mesa infinita de mármore e uma mercearia gourmet, e, ainda, o mais importante, o primeiro balcão em Portugal da marca de pastelaria francesa, a Ladurée (que brevemente se expandirá num salão de chá como deve ser).

Foi neste pequeno, mas luxuoso balcão que eu e a Andreia estivémos a contemplar e a namorar durante uns bons minutos todos os docinhos franceses: os macarrons, as mil folhas de framboesa, as tartes de caramelo. Uma indecisão com tanto requinte!


Decidimos comemorar a vida (sim, não havia nada mais importante a celebrar naquele momento) e deliciar-nos com aqueles pequenos luxos no bar do piso inferior. Estávamos com o espaço só para nós, sem contar com um ou outro casal estrangeiro, por isso aproveitámos e tirámos 1001 fotografias aos nossos pedidos (e a nós!).

Para acompanhar o meu Ispahan (um macarron em tamanho maior recheado com framboesas frescas, líchias e extracto de rosas), pedi um copo de vinho rosé. E sim, naquele momento estava a sentir-me verdadeiramente chique!

A Andreia pediu a tarte Saint-Honoré de baunilha (que, para quem não sabe, a tarte tem o nome de uma das ruas com mais lojas de luxo em Paris). Esta delícia sabia a caramelo salgado e tinha chantilly.


E vocês, já visitaram este lugar encantado?


Av. da Liberdade 182-184, 1250-146 Lisboa

25 June 2017

Qual o melhor sabor do mundo? c/ Schweppes


Na passada quarta-feira, atendi ao evento da Schweppes no Palacete Gomes Freire. Foi um cocktail muito descontraído, num sítio super elegante, que nos deu a conhecer o novo sabor da marca de águas tónicas – o Matcha. 

O conceito deste evento era entrar no mundo asiático e ter vários sabores a palpitarem na nossa boca, como as chamuças verdes ou os dim sums de camarão, e, claro, os cocktails de gin e matcha, rum e gengibre, malagueta e limão, e muito mais!

Eu que nem sou muito de bebidas brancas (sou mais de vinho tinto!), achei muito agradável o cocktail de matcha e lima. Muito refrescante e pouco alcoólico. E matcha é só o meu chá preferido, por isso, bónus!

Quem me acompanhou no evento foi a Mariana Galhardas do blog Pink is Fashion, e as incríveis fotógrafas e instagrammers Márcia Soares e Inês Pombo



Se quiserem fazer este cocktail, vão precisar de: 50ml de Gin, 40ml de sumo de limão, 20ml de Xarope de Citronela, 100ml de Schweppes Premium Matcha. O método será o que agitar seco, agitar, coar duplo, gelo (o que quer que isto signifique, é melhor é deixarmos para os profissionais). Depois serve-se num copo de balão e decora-se com uma casca de limão.

fotografia de Márcia Soares

Fotografias concedidas pela agência Quiosque PR

22 June 2017

3 óleos essenciais para o Verão


Ei, galera! O Verão já está mesmo aí! Já está tempo de passar dias inteiros na praia a torrar ao sol e a refrescar no mar. Não há cá mais camisolões de lã a cobrirem-nos até ao pescoço, nem levantar a horas em que ainda não há luz, nem deprimir por causa do frio.

Mas atenção, agora que é tempo de Verão, os cuidados com a nossa pele são maiores. Estamos expostos a muitos factores que secam a pele e a fazem parecer velha. Por isso, hoje, quis trazer-vos três produtos que tenho utilizado regularmente. Troquei os cremes líquidos para o corpo por manteigas e óleos – manteigas em casos de extrema secura depois de um dia de praia intenso e óleos para todos os outros dias.



Primeiro, quero falar-vos do BIO OIL. Este produto brasileiro tem andado sob o meu radar há bastante tempo. Principalmente, quando a minha mãe comprou e recomprou a versão pequena dele e dizia que era ótimo para as estrias. Tive sorte e fui convidada recentemente para um evento do lançamento da nova embalagem de 200ml da Bio Oil e fiquei ainda mais rendida a este óleo maravilha.

A verdade é que não só previne e atenua as estrias, como hidrata em profundidade a pele seca (sem efeito oleoso, apesar de ser um óleo) e, ainda, harmoniza tons de peles irregulares. Os efeitos são visíveis ao fim de 2 meses com uma utilização bi-diária. Até agora (após 1 mês de utilização, dia sim dia não e apenas 1 vez por dia), noto que a minha pele está efectivamente hidratada e mais elástica. Em relação às estrias, terei de esperar mais até notar diferenças, mas o truque é massajar o óleo nas zonas afectadas para penetrar na pele.



O segundo óleo não é de hidratação, mas sim uma fragrância. É o Huile Divine da Caudalie e foi uma amostra que me ficou na memória pelo seu aroma intenso. É aroma quente, amadeirado, mas ao mesmo tempo feminino (mas feminino de mulher poderosa, não de rapariguinha). Foi um pequeno crime que cometi, mas que não me arrependo. Lembro-me uma vez de ler que uma blogger o usava para ir dormir, e pensei "mas para dormir ninguém o pode cheirar." A verdade é que esses pequenos prazeres ou luxos em que apenas autorizamos a nossa própria pessoa a tê-los é que são os mais valorizados.

Não obstante desses pequenos momentos de prazer entre a minha pessoa e a almofada, gosto de aplicar este óleo na zona do peito e cabelo. Deixa um cheirinho maravilhoso e dá uma sensação de elegância.



Por último, um produto orgânico. E tudo o que eu tenho de orgânico recebi pela BOB&BOXY, claro. A Kapuluan é uma marca com um grande impacto social. Este é o único produto que a marca vende (em vários tamanhos) e é um óleo de côco cru e puro. A maneira como esta marca funciona é trabalhando em parceria com comunidades de produção de côcos nas Filipinas e ajudando-as a aumentar o valor da sua produção. Por cada produto comprado, a Kapuluan planta uma árvore de côco na ilha –  o que ajuda a combater o aquecimento global e ajuda na produção por parte dos agricultores.
Se quiseres saber mais, clica aqui.

O que adoro sobre o óleo de côco é que tem imensas funcionalidades. A mais evidente, e por estar nesta embalagem, é a de hidratação. Gosto de colocar nas pernas, pois é leve e hidrata logo, deixa um brilho saudável e um aroma divinal. Serve como hidratante para o cabelo – eu ponho nas pontas. E tem a função alimentar também, ou seja, pode-se pôr na frigideira para fazer umas panquecas, ou no café para dar energia e ir ao ginásio. É um produto multi-purpose.



E vocês, o que têm usado agora no Verão?

19 June 2017

Lately on the gram III


Que tamanho calor que passou pelo nosso país! Não me lembro de alguma vez terem feito 40º em Junho na capital – apesar de ainda ter vivido pouco e a minha memória não ser a melhor. Mas foi antes das tragédias que percorrem o nosso Portugal, que eu me escapuli para a Costa Vicentina com a minha família para uns dias sossegados.

A meu pedido, fomos passar os feriados de Junho à Zambujeira do Mar. Foi como consequência do sucesso do ano passado, ano cujo passámos estes feriados a descomprimir dos meus exames de final de curso numa herdade em Vila Nova de Mil Fontes (revê aqui), que decidimos voltar ao Alentejo.

Foram três dias de puro relaxe, entre as praias selvagens e a piscina da herdade. Uma calmaria e sossego ao qual tive dificuldade em me habituar. Isto da azáfama da cidade faz com que andemos a 100 à hora, e quando somos postos num lugar em que temos de relaxar e dimimuir a velocidade, até se estranha.

A herdade onde ficámos chama-se Herdade do Touril, pertíssimo da praia da Zambujeira e da Praia da Nossa Senhora. Esta última é um verdadeiro paraíso. Apesar do acesso facilitado (uma escadaria em madeira), não há indicações para lá se chegar, mesmo sendo muito perto da povoação. Deste modo, tínhamos a praia só para nós e pudemos aproveitar as águas cristalinas e vistas monumentais das arrábidas até à tarde.

É sempre bom explorar o que o nosso país tem de bom e entrar em contacto com a Natureza para fazer um restart nas nossas emoções.

Como passaram os feriados de Junho?

27 May 2017

SANTO BAGEL


Ai, Santo Bagel! De Santo não tens nada! É um pecado provar-te e pensar em ti. 

Sabes que sonhei contigo no outro dia? E acordei a pensar que tinha traído todos os outros restaurantes de bagels a que já tinha ido antes de ti. Mas tu és tão melhor do que os outros, tão mais saboroso, tão mais instagrammable. Quem te manda ter um espaço amplo que deixa entrar uma luz incrível? Ou mesas lindas de mármore e um chão de azulejo? Como é que posso não me sentir atraída a uma palete de cores tão cuidadosamente bem pensada: o branco e preto com um toque de amarelo? 

Tu fazes-me gostar de ti. E eu que nem sou muito de comer glúten...

[EN]: Oh, Holy Bagel! You got nothing holy on you! It's a sin to even taste you or to think about you.

Do you know I dreamt about you the other day? And woke up feeling like I've cheated on every other bagel place I had tried before you. But you are so much better, so much tastier, so much more instagrammable. Who told you could have such a wide space with amazing light coming in? Or beautiful marble top tables and tile floors? How can I not feel attracted to such thoughtful color palette: black and white with a touch of yellow? 

You make me like you. And I never fall for things with gluten! You must be something else.


Avenida Marquês de Tomar, 76C, Campo Pequeno

25 May 2017

Tips and tricks to edit your IG photos like a PRO


Recentemente no Instagram, tenho tido vários pedidos para que eu explicasse como edito as minhas fotografias. E apesar da minha edição não ser nada de especial para mim, achei que podia ser interessante para vocês verem o meu método e podermos trocar dicas.

Para os me seguem no insta (se não és um deles, o que estás à espera? A minha conta é @inesserodio95), podem ter notado que eu gosto de evidenciar cores vivas, elementos distintos e uma boa composição no geral. Apesar de não ter nenhum tema e as minhas imagens serem à volta de vários tópicos (estilo, comida e paisagens urbanas), eu tento alterná-las e brincar com as suas tonalidades (por exemplo, fazer um trio só de imagens vermelhas, outra de azuis, etc).

Antes de passarmos para os meus truques e apps de edição, gostava de vos deixar 3 dicas:

DICA #1
Tira o máximo de fotografias até sentires que aproveitaste todos os ângulos. E não estou a dizer 3, estou a dizer 20 fotografias diferentes. Explora os ângulos (de cima, close up, de lado) e brinca com a luz, a sombra, objectos complementares como pessoas, árvores, céu, mãos, jóias, etc. Desta maneira, de certeza que terás uma perfeita.

DICA #2
Usa luz natural, ou uma lâmpada de luz branca por cima da mesa. Isto vai facilitar a edição em grande parte. Pois quando se aumenta a exposição de uma fotografia, alguns detalhes desaparecem, e mesmo que se aumente o contraste, não fica muito natural. Às vezes, para uma fotografia de um look, fica melhor na sombra do que directamente com a luz do sol.

DICA #3
Não exageres na claridade. É muito bonito ter um feed clean e claro, mas se tirares a cor todas da fotografia, os elementos perdem-se, não há linhas claras a separar o fundo do elemento principal e parece ser de uma dimensão só.

Agora, vamos editar!

[EN]: Lately on the 'gram people have been asking me how I edit my photos. And, though, for me it's a no-brainer editing them, I feel like it would be interesting to share my editing method and to exchange tips between us. 

For the people following me on Instagram (if you are not already, what are you waiting for? My account is @inesserodio95), you might have noticed that I'm really into bright colors, distinct elements and a good composition overall. Although I have no theme and my pictures are all around various topics (style, food, cityscapes), I try to alternate them among each topic and play with the tones (for instances, do a blue trio, next do a red trio, and so on).

Before heading to the actual editing tools and tricks, I'd like to leave you with some tips. 

TIP #1
Take as many pictures until you feel you have taken advantage of all different angles. And I mean like 20 different ones, not only three. Explore the angles, the light and shadow, play with complementing objects (for example, people, trees, hands, jewellery). This way you'll be sure to have the right one.

TIP #2
Use natural lighting when outside, or a really good white lamp right above the food. This will facilitate the editing. Otherwise, if you're improving the exposure, many details will disappear, and using the contrast to make them appear, doesn't often look that natural. Sometimes for outfits, it's better to take a photo in the shade.

TIP #3
Don't overuse the highlight feature – this will white out the picture, take the natural colors  and shapes making it seem like a 1D photo with no clear lines. It's beautiful to have a clean and light feed, but know how to do it so the picture is not a big blur.

Now onto the editing!

Vamos começar com uma fácil.

1. A foto original foi tirada numa rua em Lisboa. Estava contra-luz e apareceu muito mais amarela do que era na realidade.

2. Levei-a para o VSCOcam – a minha app de edição de imagens de eleição – e apliquei o filtro HB1, um filtro claro. Depois ajustei a cor da imagem para focar mais no tom azul.

Let's start with an easy one.

1. The original photo was taken in Lisbon. It was against the light and it came up much more yellow than in reality.

2. I took it to VSCOcam – my trustee editing app – and applied the HB1 filter, a light one. Then adjusted the colors to enhance the blue tone.


Esta foi mais complicada.

1. A foto original foi tirada no Friendly Flamingo, um café em Lisboa. Aproveitei a incrível mesa de mármore e a luz natural que vinha do tecto de vidro para tirar a fotografia.

2. Depois, editei-a no VSCO com um filtro claro (HB1).

3. Usando outra app muito boa – a Snapseed – resolvi o problema do desenho no café desvanecido. Com o pincel, baixei a exposição apenas no café e ressuscitei o desenho.

This was a tricky one.

1. The original photo was taken at Friendly Flamingo, a coffee shop in Lisbon. I took advantage of their amazing marble top and their natural light coming from the glass ceiling to take the photo.

2. Then I edited it in VSCO with a light filter (HB1).

3. With another amazing app – Snapseed - I tackled the faded latte art. With the brush, I lowered the exposure only on the coffee and brought the design to life.


Da câmera para o Instagram.

1. A foto original foi tirada na Fundação Champalimaud, em Lisboa. Esta foi tirada com a câmera fotográfica, ao invés das anteriores que foram tiradas com o iPhone. Eram 5 da tarde e o sol estava alto e forte, fazendo com que eu ficasse contra-luz.

2. Com a versão grátis do Lightroom para o Mac, fiz um aprimoramento automático na imagem e melhorei a exposição, a claridade, a vibratibilidade e a saturação.

3. De seguida, fiz airdrop da imagem para o iPhone e editei-a no VSCOcam, desta vez com um filtro mais quente (E3).

4. E por fim, usando o Snapseed, melhorei a exposição na minha cara, outfit e na parede. E ainda aumentei a saturação na camisa para realçar a sua cor viva.

From the camera to Instagram.

1. The original photo was taken at Champalimaud Foundation, in Lisbon. This one was taken with my camera, and not with the iPhone like the previous ones. It was 5 pm so the sun was bright and high, making the photo look against the light.

2. With the online version of Lightroom for Mac, I auto-fixed it and enhanced the exposure, clarity, vibrancy and saturation.

3. Then, I airdropped it to my phone and edited it with VSCOcam, but using a warmer tone (E3).

4. Lastly, using Snapseed, I enhanced the exposure on my face, my body and on the wall. And saturated the shirt so the bright red would pop.


E aqui estão algumas das minhas edições. E tu como editas? Conheces os programas que eu uso?


And here they are: my editing tricks. What about how you edit your pics? Do you use any of these apps that I mentioned?

23 May 2017

WRAP UP TOP (& THE EFFECTS OF #AD POSTS)


Podem chamar-me de influencer (agora que estou quase com 4k de seguidores no Instagram), mas, na verdade, eu sou é uma influenciada! 

Quer dizer, tiro o curso de Marketing, aprendo todas as "manhas" das marcas e das agências de comunicação e, mesmo assim, deixo-me cair na teia que as digital influencers criam! Ok, não estás a apanhar nada. Deixa-me explicar. Esta camisa que vês em cima e em baixo foi uma compra por Insta-Impulso, ou seja, vi em duas contas de Instagram de pessoas que admiro (a Emitaz e a Alice Trewinnard) e o meu cérebro só parou quando tive esta peça na mão. 

Isto de usarem pessoas reais e amigas para a venda de produtos tem sido cada vez mais recorrente em redes sociais e é incrível como resulta em pessoas ingénuas (como eu). E digo isto sem vergonha, porque a camisa é mesmo gira e se eu puder ajudar uma causa sem fins lucrativos, fico contente (na verdade não é uma causa, é uma marca, e não é sem fins lucrativos, na verdade lucra e muito! Ok, não tenho mais desculpas!)! Óbvio que não vou comprar tudo o que me aparecer no meu feed, tenho discernimento nas minhas escolhas (apesar de algumas serem feitas inconscientemente, elas vão de acordo com os meus gostos), mas coisas bonitas da Zara são difíceis de resistir – ai, sou tão superficial...

Por favor digam-me que são como eu, não quero ser a única que admite cair nestes posts de #ad #spon #noshameinmakingmoneyoutofmyfollowers #ibuyfollowers!

[EN]: You can call me influencer (now that I'm almost reaching 4k insta followers), but, in fact, I'm more of an influencee!

I mean, I finished a Marketing degree, I learn all the tricks that brands and communication agencies use and, still, I let myself fall into the marketing traps brought to us by digital influencers. Ok, I'm not framing this right. So, you see this shirt I'm wearing (above and below this text)? This was bought by an IG-impulse, meaning I saw two influencers wearing it and I couldn't rest till I had the same exact shirt in my hands – it's sickening, I know.

Using real and friendly people to advertise products on social media has been so recurrent and it's amazing how naīve people (like me) fall for it – meaning, buy the products. And I say this with no shame, because this shirt is indeed so cute and if I can help a non-profit organization, I'm glad (though is not an organization, it's a brand, and it's not non-profitable, in fact, is really profitable. Alright, I have no excuses left!)! Obviously that I'm not buying everything that comes up on my feed, I'm selective in my choices (tho some are unconscious, they still go accordingly to my taste), but nice pieces from Zara are quite hard to resist – jeez, I'm so shallow...

Please tell me you're like me, I don't want to be the only one who falls for these #ad #spon #noshameinmakingmoneyoutofmyfollowers #ibuyfollowers types of posts!


Fotografia de Catarina Santiago

18 May 2017

Boneca de Porcelana


Esta sessão é uma ilusão. O que começou por ser um conceito natural num ambiente orgânico, acabou por se revelar num estilo de fotografia em que eu não acredito. Se olhares para a de cima, o que encontras? Nada. É essa a resposta. A minha pele está perfeita, sem os meus sinais no nariz nem as minhas sardas imperfeitas. Sem pêlos nem rugas de expressão.



Então e nesta? Se me conheces pessoalmente sabes que o meu nariz não é assim tão perfeito. Aliás, levou-me uns anos a aceitar o meu alto na cana do nariz. Mas, aqui, parece que fiz uma rinoplastia e tenho o nariz que sempre desejei (secretamente) ter.


Cada vez mais acredito na beleza natural e nas imperfeições. Custa aceitar-nos a nós próprios quando somos rodeados por conceitos de beleza falsa e superficial de pernas alisadas sem uma marca de celulite ou narizes bem construídos ou mamas redondas e perfeitas com um estômago de aço. Mas mesmo com esses estigmas de beleza distorcida desta sociedade exigente e crítica, há esperança quando existem modelos de pessoas que quebram as barreiras e mostram-se orgulhosos por quem e como são. Há mulheres que mostram as suas curvas e orgulham-se da sua figura não convencional (ou seja, não anorética de modelos de passadeiras), mulheres que mostram as suas estrias como marcas de guerra quer após um parto ou apenas de crescimento e celulite idem (agora até criaram autocolantes de celulites para se colocarem em bonecas).


Sinto-me hipócrita com o discurso de que devemos aceitar as nossas imperfeições e depois mostrar-vos estas fotografias modificadas no Photoshop. Mas a verdade é que o resultado da sessão serviu como lição, não só para mim como para vocês. É sempre diferente vermos como poderíamos ser numa alternativa utópica e perfeita, e foi isso o que a Thamires me mostrou. A Thamires é uma fotógrafa profissional que trabalha com books para modelos. Nesses books (portefólios que as modelos apresentam às agências) é preciso estar no melhor. Daí as suas edições serem mais carregadas para atingir aquela perfeição de revista.

A Thamires foi impecável, sempre sorridente, sempre a dar dicas de como usar as minhas melhores feições e de, ao mesmo tempo, descontrair e divertir.

E por isso não quero estar a criticar o seu trabalho, apenas mostrar como não estou habituada a ver-me tão trabalhada como uma boneca de porcelana e que, por vezes, uma sarda aqui ou ali dá um aspecto mais natural.